R$ 38 mil: caixa dois de Moro e Dallagnol compraria 13 pedalinhos para Lava Jato

Caso reconhecesse de uma vez a autenticidade do que se disse nos chats da República de Curitiba, cujo conteúdo vem sendo revelado pela Vaza Jato do Intercept Brasil e veículos parceiros, Sergio Moro teria prontinha, por escrito, e de seu próprio punho, mais uma explicação blasé para a gravidade do que vem sendo escancarado. No caso, para desvio de dinheiro público, mais essa da associação criminosa que durante anos Moro formou com Deltan Dallagnol.

Leia mais “R$ 38 mil: caixa dois de Moro e Dallagnol compraria 13 pedalinhos para Lava Jato”

Novo diálogo mostra Moro e Dallagnol combinando desvio de recursos públicos

O jornalista Reinaldo Azevedo publicou no início da noite dessa segunda-feira, 15, em seu blog e em parceria com o Intercept Brasil, um novo diálogo da Vaza Jato que mostra nada mais, nada menos que Sergio Moro e Deltan Dallagnol planejando um assalto a um cofre público.

Leia mais “Novo diálogo mostra Moro e Dallagnol combinando desvio de recursos públicos”

Dallagnol dará palestra sobre ‘ética nos negócios’ em Curitiba

O procurador da República Deltan Dallagnol, ora pressionado por planejar abrir uma empresa de palestras com fachada de instituto “sem fins lucrativos”, e usando sua esposa como laranja, Dallagnol, dizíamos, tem agendada para o dia 30 de outubro, em Curitiba, uma palestra sobre “A Ética nos Negócios em um Mundo Sob Pressão”.

Leia mais “Dallagnol dará palestra sobre ‘ética nos negócios’ em Curitiba”

Artigo de Dallagnol sobre ‘companheiro(a)’ laranja foi usado no processo do Mensalão

Em 2010, a editora Verbo Jurídico, de Porto Alegre, publicou a coletânea “Lavagem de Dinheiro – Prevenção e Controle Penal”. Organizada por Carla Veríssimo De Carli, a coletânea reúne artigos de 15 autores, entre eles dois futuros procuradores da Lava Jato, Carlos Fernando dos Santos Lima e aquele que viria a ser o chefe da task force da República de Curitiba, Deltan Martinazzo Dallagnol.

Leia mais “Artigo de Dallagnol sobre ‘companheiro(a)’ laranja foi usado no processo do Mensalão”

‘Parla Jato’: Dallagnol planejou instituto de fachada e quis esposa como laranja

A “Parla Jato”, empresa de palestras piro-jurídico-motivacionais que Deltan Dallagnol planejou abrir com “Robito” para $urfar “o networking e a visibilidade” que os dois ganharam com a Lava Jato, essa empresa, com matriz na República de Curitiba, teria as esposas dos dois sócios como laranjas. Além disso, seria, na fachada, um instituto, menos para dar “uma ideia de conhecimento” e mais para disfarçar lucros de centenas de milhares de reais por ano na forma de altos salários pagos por uma entidade que seria, no papel, sem fins lucrativos.

Leia mais “‘Parla Jato’: Dallagnol planejou instituto de fachada e quis esposa como laranja”