Marx faz anos! A estupidez, por outro lado, também

Marx faz anos! A estupidez, por outro lado, também

Como toda biografia de Karl Marx, uma muito conhecida, escrita pelo britânico Francis Wheen, começa com um garoto judeu nascendo em Trier, na Alemanha, nas primeiras horas do dia 5 de maio de 1818. Marx, se além de tudo tivesse descoberto o elixir da longa vida, faria 201 anos nesse domingo, 5, de Jair Bolsonaro falando sobre sexo no programa Silvio Santos.

Antes, porém, na introdução à sua biografia de Karl Marx, Francis Wheen lembra qual foi o ápice de uma certa escola de pensamento sobre o mais conhecido filho de Trier. Escola de pensamento? A rigor, um “reformatório”, como diz o próprio Wheen. Trata-se da teoria de Belzebu no jovem Marx.

Essa:

“Assim como houve seguidores imbecis ou ávidos de poder que endeusaram Marx, também seus críticos caíram com frequência no erro equivalente e oposto de imaginá-lo um agente de Satanás. ‘Havia momentos em que Marx parecia possuído pelos demônios’, escreveu um biógrafo moderno, Robert Payne. ‘Ele tinha do mundo uma visão diabólica, assim como a malignidade do diabo. Às vezes, parecia saber que estava praticando obras do demônio’. Essa escola de pensamento – que mais parece um reformatório, na verdade – chegou à sua conclusão absurda em ‘Era Karl Marx satanista?’, um livro extravagante, publicado em 1976 por um célebre pregador norte-americano, o reverendo Richard Wurmbrand, autor de obras-primas imperecíveis, como Tortured for Christ [“Torturado em nome de Cristo”] (‘mais de dois milhões de exemplares vendidos’) e The Answer to Moscow’s Bible (‘Resposta à Bíblia de Moscou’)”.

“Segundo Wurmbrand, o jovem Karl Marx foi iniciado numa ‘igreja satanista altamente secreta’, à qual serviu, fiel e malignamente, pelo resto de sua vida. Não há como encontrar nenhuma prova, é claro, mas isso só faz reforçar o palpite do detetive de colarinho clerical: ‘Como a seita satanista é sumamente secreta, temos apenas indícios das possibilidades de sua vinculação a ela’. Quais são esses indícios? Bem, quando era estudante, Marx escreveu uma peça em versos cujo título, Oulanem, é mais um menos um anagrama de Emanuel, o nome bíblico de Jesus – e que, portanto, ‘faz-nos lembrar as inversões da missa negra satanista’. Altamente incriminador. Mas, tem mais: ‘Vocês já pensaram no corte de cabelo de Marx?’, pergunta Wurmbrand. ‘Era comum homens usarem barba em sua época, mas não barbas como aquela (…). A postura de Marx era característica dos discípulos de Joanna Southcott, uma sacerdotisa satanista que se julgava em contato com o demônio Silo'”.

A peça Oulanem, da qual Marx não propriamente se orgulhava, foi lançada recentemente no Brasil pela editora Boitempo, comandada pela sacerdotisa satanista Ivana Jinkings. Por conta do aniversário de Marx, aliás, de
6 a 12 de maio todos os livros da coleção Marx e Engels, da Boitempo, serão vendidos pela editora com descontos de até 35%.

Wurmbrand: ‘herói’ de olavistas

Desgraçadamente, nesse 5 de maio também faz aniversário, de cinco anos, um conhecido site que reúne “todas as preciosidades” que o “guru” do Bolsonarismo, Olavo de Carvalho, posta nas redes sociais. “Passei a colar, todo dia, tudo que o Olavo posta, na ordem que ele escreve e sem edição para que se torne uma fonte primária de pesquisa no futuro”, escreveu nesse domingo o criador do site, comemorando a data.

Dizia um importante marxista brasileiro, Nelson Werneck Sodré, que “aos pobres de espírito há que perdoar, já que não os podemos atrelar às carroças”. Mas, desgraçada e curiosamente, precisamente nesse domingo a diligente criatura olavista copiou e colou no site o seguinte tuíte, postado pelo ex-astrólogo da Veja nesse sábado, 4:

“A ÚNICA iniciativa de propaganda anticomunista do governo militar durou DOIS OU TRÊS DIAS: Foi a visita do pastor Richard Wurmbrand, que não foi convidado por ser um herói do anticomunismo mas por ser simplesmente o chefe da igreja à qual pertencia a família Geisel”.

No ano 2000, o jornal O Estado de S.Paulo conseguiu acessar relatórios secretos dos ministérios militares da Ditadura. A reportagem informava, com base nesses relatórios, que, “para o regime, incentivar seitas anticomunistas era trazer maior segurança para a perpetuação dos militares no poder. Um dos religiosos que mais receberam apoio para entrar no país foi o pastor Richard Wurmbrand, que dirigia a Igreja Evangélica dos Estados Unidos”.

Marx faz anos! A estupidez, por outro lado, também. Para quem não quer de presente a barbárie, é como se diz “feliz aniversário” em alemão: Zum Geburtstag viel Glück!

“Pelo seu aniversário, boa sorte!”.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia também:

O dia em que Bolsonaro foi declarado persona non grata em sua cidade natal

O dia em que Bolsonaro foi declarado persona non grata em sua cidade natal