Bolsonaro envia ao Congresso ‘lei da carta branca’ para matar manifestantes

Bolsonaro envia ao Congresso ‘lei da carta branca’ para matar manifestantes
Foto: Isac Nóbrega/PR.

Na Bolívia, está em vigor um decreto editado pelo governo golpista que autoriza a participação das Forças Armadas na repressão a manifestações e exime os militares de responsabilidades criminais por atos praticados nessa “missão”. Até agora, dezenas de pessoas que protestavam contra o golpe civil-militar contra Evo Morales foram mortas.

No Brasil, coisa mesmíssima está por vir, mas não por um decreto temporário. A chamada “excludente de ilicitude” na repressão a manifestações populares pode mesmo virar lei.

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta quarta-feira, 20, que está encaminhando ao Congresso Nacional um projeto que prevê “excludente de ilicitude” durante operações de Garantia da Lei e da Ordem (GLO). Na prática, trata-se de uma “lei da carta branca” para abrir fogo contra manifestantes.

‘O relatório de vocês’

O anúncio foi feito por Bolsonaro, pra variar, na saída do Palácio da Alvorada, em contato rápido com a imprensa. Questionado pela imprensa sobre a investigação do assassinato da menina Ágatha, no Rio, ter confirmado que foi um policial militar o autor do disparo, disse Bolsonaro: “Eu vi lá o relatório de vocês. Não vou comentar”.

  1. Este homem só fala em matar, torturar e comanda uma quadrilha de mafiosos, na qual fã, parte os próprios filhos e ele.
    Bolsonaro é do mundo do crime. Tráfico, .milicias, traficantes de armas, drogas, assassinos ex-militares, Organização criminosa. Bolsonaro e Família são bandidos, um PSICOPATA, filho esquizofremico. Daí, pra frente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia também:

Maia leva racista para mesa do plenário e diz que ataque foi ato 'impensado'

Maia leva racista para mesa do plenário e diz que ataque foi ato 'impensado'