Foto: Shealah Craighead/Casa Branca.

Os EUA descobrem via New York Times que o dono da Trump Tower em Nova York, do Trump Hotel em Washington DC, de uma fortuna de US$ 2,5 bilhões e, claro, presidente do país, ficou 10 anos sem pagar imposto de renda.

Pelo menos no ano da sua eleição para a Casa Branca, 2016, Donald Trump pagou ao fisco. Pagou 750 dólares.

O Sonegation First trumpista começou no ano 2000. No ano anterior, 1999, Jair Bolsonaro disse assim na TV brasileira, num mau agouro para o século que estava para se pôr a caminhar: “conselho meu: eu sonego tudo que for possível”.

É pouco provável, pouquíssimo, porém, que o magnata ianque tenha ouvido a sugestão do zé ninguém verde-oliva que viria a ser eleito presidente do Brasil sob tripla fraude: o golpe de 2016, o calendário eleitoral paralelo da Lava Jato contra Lula e a máquina de mentiras eleitorais via Whatsapp.

Contando com a ignorância

É muito provável, diz a imprensa estadunidense, que o escândalo Sonegation First terá “impacto nas urnas”, na eleição presidencial que está prestes nos EUA. A ver. Não há nada mais Steve Bannon nessa vida do que matar escândalos no peito e usá-los a favor de The Movement.

Neste momento, um dos destaques do site Breibart News, fundado por Bannon, é um artigo que começa assim:

“O New York Times, de extrema esquerda, afirma ter obtido cópias das declarações de impostos do presidente Trump e está contando com a ignorância para transformar sua perfumaria em algum tipo de escândalo”.

É que este mundo anda muito chato com toda essa gente chata que não mete bala em preto, nunca esmurrou um veado e fica pagando imposto feito um esquerdista.

Apoie a imprensa democrática

Camarada leitor, leitor camarada, é como se diz nas cações açucaradas: Come Ananás precisa de você para viver. Come Ananás conta com você que conta com Come Ananás – com a imprensa democrática em geral – para romper com o ronrom da mídia corporativa.

Deixe um comentário

Deixe um comentário