Foto: Daniel Schludi no Unsplash.

Apoie Come Ananás

Ajude a romper o ronrom da mídia corporativa. Faça uma doação única ou assinatura de apoio. Fortaleça a imprensa democrática brasileira.

Diante da flagrante recusa do governo federal em planejar a vacinação em massa da população brasileira, verdadeiro crime contra a humanidade – de responsabilidade, nem se fala – a Associação Nacional dos Servidores Públicos, da Previdência e Seguridade Social (Anasps) protocolou nesta quinta-feira, 10, no Supremo a seguinte consulta:

“Requer-se que seja deferida a possibilidade de que as entidades de classe, associações sem fins lucrativos, entidades do sistema S e entidades do terceiro setor possam adquirir os imunizantes [contra a covid-19] diretamente com as Empresas produtoras”.

A Anasps pediu ao STF o ingresso como “Amicus Curie”, literalmente “amigo da corte” nas Arguições de Descumprimento de Preceito Constitucional (ADPFs) 754 e 756, ambas sobre a inação do governo Bolsonaro contra a pandemia. O julgamentos das duas ADPFs está marcado para o dia 17 de dezembro. O relator é o ministro Ricardo Lewandowski.

“Registra-se que a associação é composta por servidores que atendem os mais variados públicos das agências do INSS, os quais tiveram o seu retorno decretado após abertura gradual da economia. Sendo assim, os associados ativos ficam expostos ao contágio do novo Coronavírus. Ainda, há um grande grupo de associados aposentados e pensionistas que são integrantes do grupo de risco, demandando por parte da entidade auxílio no combate a COVID-19. Por isso, este pedido de intervenção nos feitos e o requerimento de que possa adquirir também as vacinas para imunizar seus associados e seus funcionários que os atendem diariamente, aumentando a disponibilidade e o acesso aos imunizantes e medicamentos contra a pandemia”, argumenta a Anasps, na petição.

O desgoverno assassino de Jair Bolsonaro empurra o Brasil para um verdadeiro salve-se quem puder. Literalmente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *