Foto: Reprodução/Facebook.

Há quase dois anos, no dia 14 de novembro de 2018, o site Conjur publicou uma entrevista com o então vice-presidente do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1), Kassio Nunes Marques, que, segundo informa a imprensa brasileira nesta quarta-feira, 30, será indicado por Bolsonaro para a vaga que será aberta em breve no STF com a aposentadoria de Celso de Mello.

Perguntado sobre levar trabalho pra casa, Kassio Nunes respondeu:

“O homem é o homem e as suas circunstâncias. Prefiro não levar trabalho para casa. Mas, às vezes, não tem jeito. No geral, eu prefiro ficar no Tribunal até mais tarde e não levar nada para casa. Assim, há tempo livre para outras atividades, uma leitura ou um filme. Gosto mais de filmes, é mais acessível: o que mais me distrai na realidade é ficção científica. Quanto mais mentiroso o filme, melhor para mim (risos)”.

Ficção científica = filme cheio de mentira.

Atividades acadêmicas quase sem leitura

Insistente, a repórter do Conjur pergunta ao desembargador sobre o que tinha na cabeceira, e Nunes:

“Atualmente, tenho lido apenas livros jurídicos e, ainda assim, de forma pontual e descontinuada, em razão do trabalho e das atividades acadêmicas. Fora da seara jurídica, estou tentando concluir a leitura de ‘Sapiens’, de Yuval Noah Harari”.

O sujeito que, aparentemente, passou à frente de um “terrivelmente evangélico” para ser o próximo ministro do STF, esse sujeito, quando teve algo na cabeceira, andou “tentando concluir a leitura” de um livro sobre “como primatas insignificantes evoluíram e viraram senhores do mundo”.

Quando os terrivelmente evangélicos descobrirem, sei não…

Apoie a imprensa democrática

Camarada leitor, leitor camarada, é como se diz nas cações açucaradas: Come Ananás precisa de você para viver. Come Ananás conta com você que conta com Come Ananás – com a imprensa democrática em geral – para romper com o ronrom da mídia corporativa.

Deixe um comentário

Deixe um comentário