‘Eu até fico feliz de morrer, desde que vá 30 mil junto comigo’

No momento em que o Brasil ultrapassa a marca de 30 mil mortos por um resfriadinho e registra, em 24 horas, 30 mil novos diagnósticos do vírus, é oportuno lembrar o que disse Jair Bolsonaro em 1999, no programa Câmera Aberta, aos gritos, armado, pouco depois do minuto… 30: “Através do voto, você não vaiContinuar lendo “‘Eu até fico feliz de morrer, desde que vá 30 mil junto comigo’”

Com ‘retomada’, governadores e prefeitos decidem que a realidade não existe

A partir das esporadas de Jair Bolsonaro, cavalgados pela loucura da razão econômica, governadores e prefeitos arrancaram numa disputa cabeça a cabeça, decreto a decreto, de quem manda mais gente para igrejas de Cristo, shoppings centers, clubes de lazer, lojas de decoração, de roupas e academias de ginástica em plena expansão do vírus no BrasilContinuar lendo “Com ‘retomada’, governadores e prefeitos decidem que a realidade não existe”

Crivella embrulha um respirador para presente e levanta outro para o céu

Não é só Bolsonaro, por mais que Jair seja o campeão, que “estica a corda”, “ultrapassa todos os limites”, “dobra a aposta” no escárnio e no hediondo em meio ao impacto catastrófico da covid-19 no Brasil. Marcelo Crivella, por exemplo, em um intervalo de poucas horas conseguiu aparecer segurando um respirador embrulhado para presente –Continuar lendo “Crivella embrulha um respirador para presente e levanta outro para o céu”

Morre, de covid-19, autor de ‘A tragédia brasileira’

Foi-se embora neste domingo, 10, levado pela covid-19, um dos maiores contistas da história da literatura brasileira, talvez o maior deles vivo, agora morto. Não é de contos, nem seu principal livro, aquele em que Sergio Sant’anna se propôs a “refletir tudo” a partir de uma morte estúpida, mas é aquele cujo título agora pedeContinuar lendo “Morre, de covid-19, autor de ‘A tragédia brasileira’”

‘Pessoas estão morrendo como moscas. Não consigo vender nada!’

A cena final de “O Sétimo Selo”, cuja imagem ilustra este artigo, é a própria imagem da caminhada de Bolsonaro do Planalto ao Supremo com meia dúzia de industriais a tiracolo: a Morte em pessoa, de foice em punho, puxando uma fila nas montanhas.