Foto: reprodução/Facebook.

Em um julgamento histórico, considerado o maior julgamento de fascistas desde Nuremberg e concluído nesta terça-feira, 6, um tribunal da Grécia considerou o partido Aurora Dourada uma organização criminosa atuando sob o disfarce de organização política.

Foram condenados à cadeia nada menos que 68 membros do partido, incluindo 18 ex-parlamentares. Em 2012, no auge da crise econômica que assolou a Grécia, o Aurora Dourada cavalgou os piores sentimentos populares, no meio do arrocho imposto pela Troika, para conquistar 21 cadeiras no Parlamento, tornando-se a terceira maior força política do país.

Veja se o mais notório dos condenados, Nikolaos Michaloliakos, líder do Aurora Dourada não lembra alguém: sessentão, admirador de Hitler e da ditadura militar instalada em seu país na década de 1960, mas que nega de pé junto ser fascista, dizendo-se apenas um patriota antiglobalista.

Os membros do Aurora Dourada foram acusados ​​de perseguir imigrantes, sindicalistas comunistas, ativistas antifascistas, pessoas de esquerda e gays, culminando com o assassinato em 2013 do rapper antifascista Pavlos Fyssas por Giorgos Roupakios, um alto membro do Aurora Dourada.

Milhares de pessoas se reuniram em frente ao prédio do Tribunal de Atenas para acompanhar o fim do julgamento, que durou cinco anos. A multidão gritava a todo mundo: “lugar de nazista é na prisão”.

Apoie a imprensa democrática

Camarada leitor, leitor camarada, é como se diz nas cações açucaradas: Come Ananás precisa de você para viver. Come Ananás conta com você que conta com Come Ananás – com a imprensa democrática em geral – para romper com o ronrom da mídia corporativa.

Deixe um comentário

Deixe um comentário